SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

CANCELA A REFORMA

Lambança na noite e placar apertado: derrota da PEC 32 está mais perto, faça pressão!

Ler conteúdo

Quem assistiu à sessão da comissão especial da PEC 32 na Câmara, na noite de quarta-feira, 22, pôde testemunhar as enormes dificuldades da base parlamentar do governo Bolsonaro até mesmo numa questão simples como a manutenção da pauta. Por apenas 3 votos de diferença (22 x 19), deputados fiéis ao Planalto conseguiram aprovar a apreciação do relatório. Contudo, parlamentares de siglas que costumam apoiar o governo, como MDB, DEM, Pros e Avante, manifestaram-se a favor de adiar a votação.

E a noite reservava outros acontecimentos. Não bastasse a enorme dificuldade em garantir uma maioria simples – no plenário não será assim, pois precisam de 308 votos –, uma lambança colocou os planos do governo em xeque. Um novo relatório, apresentado na mesma noite, após o início da sessão, provocou uma justa indignação e firme reação dos parlamentares da oposição e de sindicalistas. Um acontecimento inusitado deu o tom da confusão criada: questionado sobre o conteúdo da nova proposta, sequer o relator – deputado Arthur Maia (DEM-BA) – respondeu. “Os deputados não sabem sequer que parecer estão votando”, protestou a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA).

Os planos do governo foram frustrados, a sessão foi suspensa, e o novo relatório (o sexto apresentado) não foi apreciado. Segundo o jornal Valor Econômico, o novo parecer promoveu seis “ajustes” na redação, entre eles, deixar claro que juízes e promotores não serão afetados pela reforma – o que o parecer protocolado no meio da tarde deixava ambíguo. Uma nova sessão foi convocada para a manhã desta quinta-feira, 23.

A noite de ontem foi uma prova de que é possível derrotar a PEC 32/2020. Rumores apontam que haverá ainda um sétimo relatório. Toda essa confusão é resultado da pressão que cresce na base das categorias e a rejeição da população ao governo, que só aumenta. Ao que tudo indica, na próxima semana haverá novas mobilizações em Brasília, pois o presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL), tem anunciado sua disposição em colocar a proposta em plenário o quanto antes.

Já enviou mensagem aos deputados hoje?

Mande várias, todos os dias!

Para reforçar a luta, o Sintrajufe/RS divulga abaixo os contatos dos deputados do Rio Grande do Sul que fazem parte da Comissão Especial. São três deputados titulares e dois suplentes, sendo que Alceu Moreira (MDB) está afastado por questões de saúde, e um dos suplentes, Paulo Pimenta (PT), já enviou manifestação ao Sintrajufe/RS garantindo o voto contra a reforma. Além de Pimenta, já enviaram ao Sintrajufe/RS mensagens no mesmo sentido as deputadas Fernanda Melchionna (Psol) e Maria do Rosário (PT) e os deputados Bohn Gass (PT)Henrique Fontana (PT)Heitor Schuch (PSB), Marcon (PT) e Pompeo de Mattos (PDT). O PSB também já manifestou posição contra a proposta, assim como o deputado Afonso Motta (PDT).

Abaixo, veja os contatos e envie mensagens aos deputados lembrando: deputado que vota contra os serviços públicos não volta!