SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

PLANO DE SAÚDE

TRT4 devolverá valores pagos ao plano de saúde a título de consultas médicas em 2021; reunião com Sintrajufe/RS para tratar de reajuste da Unimed é adiada para sexta-feira

Ler conteúdo

O TRT4 devolverá a servidores, servidoras, magistrados e dependentes os valores relativos a consultas médicas realizada via plano de saúde Unimed em 2021. A informação foi divulgada em e-mail da presidente do tribunal, desembargadora Carmen Gonzalez, nessa terça-feira, 30. A reunião do Sintrajufe/RS com a administração para tratar do reajuste da Unimed, o que vem causando preocupação entre os e as colegas, foi transferida de quinta para sexta-feira, 2.

No e-mail, a presidente do TRT4 explica que “após o pagamento da última fatura da Unimed Porto Alegre antes do recesso forense, foi verificada sobra orçamentária na ação Assistência Médica e Odontológica”. Segundo a desembargadora, as limitações impostas pela lei complementar 173/2020 impedem o aumento do valor do subsídio do TRT4 neste exercício, motivo pelo qual a opção foi pela devolução dos valores pagos em consultas (participação). O crédito foi pago em folha suplementar.

Nesta semana, atendendo a reivindicação do Sintrajufe/RS e considerando superávit no Programa de Assistência Médica e Odontológica em 2021, o presidente do TRF4, desembargador Ricardo Teixeira do Valle Pereira, autorizou a devolução das quotas pagas por servidores, servidoras, magistratura e dependentes do Plano Unimed do tribunal e da Justiça Federal de 1ª Instância.


Reunião para tratar de reajuste da Unimed é adiada, preocupações continuam

A reunião do Sintrajufe/RS com a desembargadora Carmen Gonzalez, para tratar do reajuste de 23,44% no plano de assistência à saúde (Unimed), foi adiada, a pedido da presidente, de quinta para sexta-feira, 2. O reajuste será aplicado na folha de dezembro, retroativo a novembro, e vem preocupando a categoria, principalmente nas faixas a partir de 49 anos, pois a devolução do valor das consultas podem não tapar o rombo no orçamento de vários colegas.

Conforme o sindicato havia divulgado, em janeiro de 2022, o benefício de assistência médica e odontológica da Justiça do Trabalho, congelado desde 2015, será reajustado em 86,99%. Com isso, passará dos atuais R$ 224,00 para R$ 402,03 por beneficiário (servidores e servidoras, magistrados e magistradas ativos e aposentados e seus dependentes). No entanto, esse esperado “desafogo” já vai passar a vigorar absorvido pelo aumento do plano de saúde. Esse desencontro de valores e datas, se não for mudado, será um péssimo “presente” de final de ano, que ainda pode ser evitado.