SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

AÇÃO ILEGAL DO GOVERNO

Bolsonaro persegue sindicato da UFRPE por crítica à sua atuação no combate à Covid

Ler conteúdo

A Associação dos Docentes da Universidade Federal Rural de Pernambuco (Aduferpe) publicou nota denunciando a perseguição política à professora e dirigente sindical Erika Suruagy por conta de outdoors contra o governo de Jair Bolsonaro (sem partido). A professora, vice-presidente da Aduferpe, foi convocada a depor na Polícia Federal em inquérito criminal aberto por Bolsonaro para apurar a colocação de outdoors que alertam para a política genocida do governo frente à pandemia.

Entre agosto e setembro de 2020, um grupo de sindicatos, entre eles a Aduferpe, instalou 72 outdoors em diversas cidades de Pernambuco. As peças traziam os seguintes dizeres: “O senhor da morte chefiando o país. No Brasil, mais de 120 mil mortes por COVID-19. #ForaBolsonaro”. No Rio Grande do Sul, outdoors também colocados por um grupo de sindicatos, do qual o Sintrajufe/RS faz parte, denunciando a reforma administrativa de Bolsonaro, foram alvo de vandalismo no final de 2020.

 

 

Veja abaixo a íntegra da nota da Aduferpe:

Em defesa da democracia, da liberdade sindical e da liberdade de expressão: fim à perseguição de Jair Messias Bolsonaro aos professores e professoras e à Aduferpe

Foi com surpresa e indignação que a diretoria da ADUFERPE recebeu a notícia da convocação de nossa vice-presidenta, a professora Erika Suruagy, para depor na Polícia Federal, em inquérito criminal aberto a pedido do presidente Jair Messias Bolsonaro, para apurar a colocação de outdoors, no final de 2020, com os dizeres “O senhor da morte chefiando o país. No Brasil, mais de 120 mil mortes por COVID-19. #ForaBolsonaro”.

Trata-se de um brutal ataque à mais elementar liberdade de expressão garantida constitucionalmente. É uma tentativa de calar opiniões e intimidar o legítimo e livre exercício da atividade associativa. Por outro lado, no mérito, a crítica ao governo federal externada no outdoor – e que pode facilmente ser estendida a outras esferas de governo – revelou-se desgraçadamente justa: à época eram 120 mil mortes a lamentar, hoje já são quase 300 mil.

Nossa Assessoria Jurídica está segura de que não há nenhuma base legal para que um processo seja instaurado. O fato de a professora Erika Suruagy ter sido convocada e de ter que prestar depoimento na Polícia Federal é de inteira responsabilidade de Jair Bolsonaro. Ele está claramente tentando intimidar sindicalistas, cientistas, professores, servidores públicos, artistas, intelectuais e cidadãos que discordam da política do governo. Não conseguirá!

A unidade do conjunto dos trabalhadores e trabalhadoras, com suas organizações sindicais e populares, vai barrar essas intimidações e ameaças de Bolsonaro. A democracia e o livre direito de opinião serão defendidos por todos e todas.

TODO APOIO À ADUFERPE!

NÃO À CRIMINALIZAÇÃO DO MOVIMENTO SINDICAL!

NÃO CALARÃO OS SINDICATOS!

NÃO IMPEDIRÃO A LIVRE MANIFESTAÇÃO!

FORA BOLSONARO!