SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE E CUT

EMPREGOS EM RISCO

Empresa troca 90% dos trabalhadores do suporte por inteligência artificial, celebra nas redes sociais e sugere que mais empresas façam o mesmo

Um empresário fundador de uma multinacional com sede na índia celebrou em seu perfil no Twitter que demitiu 90% dos trabalhadores e trabalhadoras da equipe de suporte. Em publicações que celebram o feito , ele conta que os substituiu por inteligência artificial e estimulou outras empresas a seguirem o mesmo caminho.

O caso aconteceu nessa segunda-feira, 10, e ganhou repercussão em veí­culos como a BBC e a CNN. Suumit Shah é fundador e diretor-executivo de uma empresa chamada Dukaan, uma plataforma de comércio eletrônico corporativo para empresas que, conforme seu site, atua em 9,2 mil cidades de 94 paí­ses: Estamos no negócio de construção de empreendedores. Somos uma equipe de azarões que acreditam que a tecnologia iniciará a próxima revolução industrial. Nossa missão é remodelar o cenário do varejo digital, definindo o futuro do comércio , diz a auto descrição da Dukaan.

Em uma série de publicações no Twitter feitas na segunda, Shah celebrou a redução no tempo de resposta a quem acessa o serviço de suporte e também a queda de 85% nos custos de suporte ao cliente. E, a seguir, explicou como fizemos isso , avaliando que as startups estão priorizando a ˜lucratividade™ em vez de se esforçar para se tornarem ˜unicórnios™ [empresas com alta avaliação de valor de mercado], e nós também .

Mina de ouro

Shah parece ter achado o caminho para aumentar a lucratividade: O suporte ao cliente tem sido uma luta para nós há muito tempo e consertá-lo parecia uma oportunidade para mim , escreveu, em tradução livre. A oportunidade foi demitir os trabalhadores e trabalhadoras e substituí­-los por inteligência artificial (IA). Conforme o próprio empresário, ele não tinha grande compreensão sobre IA, então chamou Ojasvi Yadav, que coordena os trabalhos de IA da Dukaan. Criaram, então, um chatbot , um robô, que chamaram de Lina , o aperfeiçoaram em poucas horas e o colocaram em funcionamento para realizar o suporte ao cliente.

Espalhar a alegria para quem?

E aí­ o passo seguinte: eles decidiram criar uma plataforma que desse a todos sua própria Lina como assistente de IA . E o fizeram. Shah comemorou mais uma vez: Na era da gratificação instantânea, abrir um negócio não é mais um sonho distante. Com a ideia certa, a equipe certa, qualquer um pode transformar seus sonhos empreendedores em realidade , escreveu. Acessando a plataforma em questão, vemos sua descrição: Agora, empresas de todos os cantos do reino SaaS [Software como Serviço] podem se despedir de equipes de suporte confusas e dar as boas-vindas a uma solução instantânea que responde a perguntas em segundos . Isso, conforme a empresa, é espalhar a alegria por toda parte . Menos para os trabalhadores demitidos.

IBM suspendeu contratações para cargos que podem ser substituí­dos por inteligência artificial

Em maio, o CEO da International Business Machines (IBM) anunciou que a empresa irá interromper contratações de trabalhadores e trabalhadoras para cargos que, no futuro próximo, poderão ser substituí­dos por inteligência artificial. Quase 8 mil vagas de emprego estão ameaçadas pela decisão. Em entrevista à Bloomberg News, Arvind Krishna, CEO da companhia, destacou a possibilidade de substituição no caso de funções administrativas , que totalizam 26 mil cargos na IBM. A projeção de Krishna é que 30% disso seja substituí­do por inteligência artificial, o que representaria quase 8 mil vagas, em um perí­odo de cinco anos.

No final do ano passado, a IBM somou-se à onda de demissões nas grandes empresas de tecnologia (as chamadas big techs ), demitindo 3,9 mil trabalhadores e trabalhadoras. Conforme levantamento do portal G1, nos últimos cinco meses foram 60 mil demissões nas gigantes de tecnologiaquase 4 mil no Twitter, mais de 20 mil na Meta (que reúne Facebook, Instagram e Whatsapp), 10 mil na Microsoft, 18 mil na Amazon e 12 mil na Alphabet (Google).

300 milhões de empregos estão expostos à automação; Judiciário entre os setores mais afetados

No final de março, um grupo de mil especialistas, entre eles nomes como o empresário Elon Musk, o cofundador da Apple, Steve Wozniak, e o CEO da Stability AI, Emad Mostaque, divulgou uma carta aberta pedindo uma pausa imediata no desenvolvimento de IAs como o ChatGPT e alertando para os riscos caso o desenvolvimento continue no ritmo atual. A carta foi divulgada poucos dias após um estudo apresentado pelo Goldman Sachs apontar que 300 milhões de empregos estão expostos à automação. O estudo ainda destaca o Judiciário como um dos principais campos afetados.

O documento do Goldman Sachs, um dos maiores grupos financeiros do mundo, adverte que se a IA generativa [como o ChatGPT e outros] cumprir suas capacidades prometidas, o mercado de trabalho poderá enfrentar perturbação significativa . Por um lado, milhões de postos de trabalho ficam ameaçados de extinção; por outro, a produtividade deve aumentar.

A partir de dados sobre as tarefas ocupacionais nos Estados Unidos e na Europa, e projetando esses dados para outros paí­seslevando em conta as diferenças das economias, inclusiveo estudo aponta que cerca de dois terços dos empregos atuais estão expostos a algum grau de automação de IA, e essa IA generativa poderia substituir até um quarto de trabalho atual . No caso dos Estados Unidos, o relatório identifica que essa exposição é especialmente alta em profissões administrativas (46%) e jurí­dicas (44%). Para a Europa, as estimativas são semelhantes. Globalmente, diz o Goldman Sachs, 18% do trabalho poderia ser automatizado por Inteligência Artificial. No Brasil, a projeção é de 25%. Assim, destaca o relatório, extrapolar nossas estimativas globalmente sugere que a IA generativa poderia expor o equivalente a 300 milhões de empregos em tempo integral à automação .