SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE E CUT

FEMINICÍDIO

Bicicletada em Porto Alegre, nesta sexta-feira (12), homenageia artista venezuelana morta no Brasil

Nesta sexta-feira, 12, acontece, em Porto Alegre, uma bicicletada em homenagem à artista de circo venezuelana Julieta Hernández, assassinada no Brasil em dezembro de 2023. A concentração começa às 18h30min, no Largo Zumbi dos Palmares, com saí­da às 19h. Não é preciso estar de bicicleta para participar. A previsão é, de sexta a domingo, sejam realizados atos em cerca de 160 cidades, no Brasil e outros em paí­ses, como Argentina, Chile, Uruguai, México, Colômbia, Estados Unidos, Holanda, Portugal, Espanha e França.

Julieta vivia no Brasil havia oito anos e percorria o paí­s de bicicleta levando a vários lugares uma apresentação na qual ela interpretava a palhaça Miss Jujuba. Ela fazia parte grupo Pé Vermêi, que conta com artistas e cicloviajantes que pedalam pelo paí­s. O último contato que fez com o grupo foi no dia 23 de dezembro, depois de uma apresentação no Amazonas, e foi dada como desaparecida. Após quase duas semanas, o corpo foi localizado. O casal que confessou os crimes de violência sexual e assassinato foi preso.

De acordo com o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), todas as formas de violência contra mulheres aumentaram no Brasil ao longo de 2022. Naquele ano, foram 1.437 feminicí­dios registrados (um aumento de 6%) e 74.930 estupros (uma média de 205 por dia). O Atlas da Violência 2023 mostra que, em uma década, entre 2001 e 2021, mais de 49 mil mulheres foram assassinadas no paí­s; no perí­odo, o estado do Amazonas registrou o maior aumento desse tipo de crime, 48,2%.

Com informações de Brasil de Fato, Marie Claire, Anuário Brasileiro de Segurança Pública