SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

NA LUTA

Sintrajufe/RS participa, em Brasília, de atividades de mobilização por valorização, reposição salarial e segurança nas eleições

O Sintrajufe/RS está em Brasília, representado pela diretora Arlene Barcellos, participando de atividades de mobilização convocadas pela Fenajufe. Nesta terça-feira, 30, federação e sindicatos realizaram atividades no aeroporto da capital federal e na Câmara dos Deputados, cobrando que as e os parlamentares fiquem atentos ao orçamento e à proposta de recomposição salarial do funcionalismo; à tarde, as entidades participaram de audiência pública na Câmara sobre segurança nas eleições.

A semana começou com a aprovação, nessa segunda-feira, 29, pelo Senado, do projeto de lei 3.662/2021. A proposta, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), foi emendada na Câmara dos Deputados por iniciativa de articulação da Fenajufe com a deputada Erika Kokai (PT-DF), a fim de garantir nível superior para ingresso de técnicos em futuros concursos, bem como a essencialidade para os cargos de técnicos e analistas (emenda da deputada Celina Leão, do PP-DF).

Na manhã desta terça-feira, 30, o Sintrajufe/RS, a Fenajufe, sindicatos de base e diversas entidades que compõem o Fórum das Entidades Nacionais de Servidores Públicos Federais (Fonasefe) promoveram atividade no Aeroporto Internacional de Brasília, pela valorização do serviço público, das servidoras e servidores. À tarde, a mobilização aconteceu no anexo II da Câmara dos Deputados. Os manifestantes exigiram que as e os parlamentares atentem para a necessidade de que o orçamento que deverá ser apresentado pela equipe econômica garanta valores para a reposição salarial do funcionalismo. Especificamente sobre o Judiciário Federal, o Supremo Tribunal Federal (STF) precisa enviar projeto de lei ao Congresso Nacional, assegurando, no mínimo, o percentual de 18%, conforme aprovado pela Corte, apesar da política de congelamento defendida por Paulo Guedes.


Também à tarde, o Sintrajufe/RS esteve presente na audiência pública “A segurança do processo eleitoral e a violência política”, na Comissão de Legislação Participativa da Câmara. Foi a segundo audiência a abordar esse assunto nos últimos dias. A primeira, dia 25, teve como tema “A Defesa da Democracia e a Segurança das Eleições Gerais de 2022” e foi articulada pela Fenajufe, representada no evento pelo coordenador da federação, diretor do Sintrajufe/RS e servidor da Justiça Eleitoral, Edson Borowski.

Presente à audiência desta terça-feira, 30, a diretora Arlene Barcellos afirma que “a participação da Fenajufe, denunciando em todos os espaços a necessidade de garantir a segurança das trabalhadoras e trabalhadores da JE nas eleições de 2/10, tem sido de fundamental para mostrar a realidade de medo e insegurança para a realização do trabalho, não só no dia das eleições”. Arlene avalia que esses sentimentos são alimentados pelas “falas reiteradas e levianas de Bolsonaro, que, sem provas, coloca em dúvida a confiabilidade das urnas eletrônicas. Essas manifestações descabidas atingem diretamente o trabalho realizado por esses colegas”. Na opinião da dirigente, as audiências públicas são importantes porque, “além de desconstruir uma série de insinuações que colocam em dúvida o trabalho sério, honesto e extremamente qualificado de nossos e nossas colegas, aponta para caminhos e providências a serem tomadas”.

Nesta quarta-feira, 31, acontecem dois atos públicos no Auditório Nereu Ramos, na Câmara: às 9h, com aposentadas e aposentados e, às 15h, em defesa do serviço público.

Sintrajufe/RS, com informações da Fenajufe