SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

PRIVATIZAÇÕES

Sintrajufe/RS participa de ações contra privatização da Carris; entidades divulgam nota em defesa da Carris pública

Ler conteúdo

Deve ser votada ainda nesta quarta-feira, na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, a proposta do prefeito Sebastião Melo (MDB) de privatização da Carris, empresa pública de transporte coletivo da capital. Nas últimas semanas, o Sintrajufe/RS vem participando de diversas ações conjuntas com outras entidades em defesa da Carris pública, um patrimônio da cidade e fundamental para a busca pela democratização do transporte.

Na última segunda-feira, 6, trabalhadores da Carris, que estão em greve desde a semana passada contra a privatização, entregaram a representantes da Prefeitura e da Câmara uma proposta alternativa para o transporte na capital. Ela foi elaborada pela Frente Ampla em Defesa da Carris e do Transporte de Qualidade. Veja AQUI o documento.

Também foi divulgada uma nota pública, elaborada pela comissão que representa os trabalhadores e apoiada por diversas entidades. Trata-se de um esforço de diálogo com a população, rebatendo as mentiras que Melo vem apresentando para tentar privatizar a empresa. O Sintrajufe/RS apoia o conteúdo da nota, que pode ser conferida abaixo:

Ainda na segunda-feira, o Sintrajufe/RS participou de caminhada em apoio à Carris pública, e, na semana anterior, prestou apoio à assembleia da categoria.

Em agosto, o sindicato também esteve no ato de lançamento do Plebiscito Popular sobre as privatizações no Rio Grande do Sul, que visa combater os processos de privatização no estado, pelo governador Eduardo Leite (PSDB), e na capital, por Melo. Um processo que faz ressonância ao desmonte promovido no âmbito federal pelo governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

Conforme Fabrício Loguércio, diretor do Sintrajufe/RS, “a luta em defesa da Carris pública é, na verdade, uma luta em defesa do transporte público. A Carris, fundada em 1872, já foi exemplo de transporte público. Ganhou prêmios de melhor empresa de transporte coletivo do Brasil. Sempre serviu pra regular o sistema em Porto Alegre. Porém, após uma sequência de gestões desastrosas, com vários escândalos de corrupção (segundo a mídia), foi sendo sucateada. Apesar de tudo isso, ainda é a melhor de Porto Alegre. Na pandemia, quando outras empresas privadas (que recebem subsídio público) abandonaram linhas, foi a Carris que manteve o acesso para a população em locais como a Lomba do Pinheiro, Restinga, entre outros”.

Fabrício também destaca que o prefeito Sebastião Melo “faz um discurso de que gasta muito dinheiro público com a Carris, porém, não é só com a Carris, mas com todas as permissionárias. Ele não quer uma solução para a crise do transporte público, ele quer é entregar as linhas da Carris para as empresas privadas”, critica.