SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

ORGANIZAÇÃO

Desafios da luta antirracista no Judiciário foram debatidos no Encontro de Pretos e Pretas da Fenajufe

O Sintrajufe/RS participou, dias 26 e 27, do Encontro Nacional de Pretas e Pretos da Fenajufe, realizado em formato híbrido (online e presencialmente, em Brasília). O sindicato enviou uma delegação de seis colegas, incluindo as diretoras Camila Telles e Roberta Vieira.

O tema “Negritude e poder: o que esperar dos poderes Legislativo e Executivo após as eleições 2022?” abriu a primeira mesa de debates, dia 26. À tarde, foi realizado o debate “Negritude nas Ruas: qual(is) pauta(s) organizam a nossa luta?”, que contou com participação, na mesa, de Roberta Vieira. Os e as participantes discutiram sobre a luta das pautas da negritude nas ruas.

No dia seguinte, a conversa teve como tema “Enegrecendo a Fenajufe: desafios da auto-organização dos pretos e pretas no movimento dos(as) trabalhadores(as) do judiciário – limitações, experiências e tarefas”, quando foi tratado das dificuldades da população negra periférica em acessar serviços do Estado e como o mundo do trabalho ainda é um espaço de subordinação e falta de oportunidades e como o racismo pode ser percebido, também, nos lugares ocupados por negros e negras.

Várias propostas foram apresentadas pelos e pelas representantes dos sindicatos ao final dos debates. Depois de lidas e combinadas em plenário, serão encaminhadas para análise da diretoria executiva da federação. Algumas das propostas aprovadas foram as seguintes: 

– divulgação de moção de repúdio à matéria do jornal O Estado de S. Paulo, que usou a imagem de uma mão negra para ilustrar um atentado em uma escola promovido por um jovem branco no Espírito Santo;
– observação do perfil racial da sociedade brasileira, pela Fenajufe, na contratação de trabalhadores e trabalhadoras nos contratos de terceirização; 
– criação do Coletivo Nacional de Pretos e Pretas da Fenajufe; 
– realização do Encontro Pretas e Pretos na Semana da Consciência Negra em 2023; – criação de um Núcleo de Pretos e Pretas em cada sindicato de base.


Diretoras do Sintrajufe/RS avaliam o evento

“A minha avaliação sobre o encontro foi muito positiva”, afirma a diretora Camila Telles. Ela ressalta que “as trocas foram muito intensas e ficou muito clara a disposição de todas e todos em tomar medidas concretas para que os órgãos do Judiciário auxiliem a sociedade brasileira a reparar os danos causados por séculos de escravidão, exclusão e exploração do povo preto”. Camila destaca que é importante a revogação da EC95 (teto de gastos), da reforma trabalhista e da terceirização irrestrita, “que se traduzem em mecanismos de moer gente, acabar com postos de trabalho e precarizar o que é possível no âmbito do mundo do trabalho, garantindo lucros para poucos, quase sempre homens brancos. Esses dispositivos são instrumentos da necropolítica e atingem primeiro os corpos negros”.

Na avaliação da diretora Roberta Vieira, “o evento foi muito potente, com pretas e pretos de todas as partes do país reunidos pensando estratégias de luta para o seu povo”. Para ela, “a participação do Sintrajufe foi importantíssima; conseguimos levar seis representantes negros e negras e participar ativamente do encontro”. A dirigente destaca que o encontro aprovou vários encaminhamentos importantes, “mas a luta maior pra nós é, em primeiro lugar, a nossa união e o nosso crescimento dentro do Poder Judiciário Federal”.