SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE E CUT

PERSEGUIÇÃO

Suspensa demissão de servidora do TRF3, diretora do sindicato de São Paulo

No dia 11, o vice-presidente do TRF-3, desembargador Antonio Cedenho, relator do recurso contra a demissão da oficiala de justiça e diretora do Sintrajud/SP Beatriz Massariol, concedeu efeito suspensivo da decisão da presidente do tribunal, desembargadora Marisa Santos. A decisão vale até o julgamento do mérito do recurso pelo Conselho do TRF3 e possibilita que Beatriz retome o exercício do cargo.

Ao determinar a demissão, a desembargadora desconsiderou inclusive os problemas de saúde da servidora, relacionados, segundo nota do Sintrajud/SP, a “sérios problemas de gestão e condições de trabalho na Central de Mandados Unificada (CEUNI) da capital. Todos estes pontos foram elucidados no processo, sobretudo o ambiente hostil de trabalho, como a falta de apoio aos oficiais”.

Desde que a presidente do TRF3 contrariou o parecer da comissão processante e demitiu Beatriz, no dia 18 de julho, os servidores e as servidoras iniciaram uma intensa campanha pela reintegração da oficiala. As ações envolveram abaixo-assinados, moções de repúdio assinadas por mais de uma centena de entidades de todo o Brasil e até do exterior, atos de protesto em frente ao TRF3 e manifestações nas redes sociais. O Sintrajufe/RS somou-se à mobilização e, no dia 22 de julho, publicou nota de repúdio.

O Sintrajud/SP informa que a campanha prossegue, assim como a atuação jurídica da entidade para reintegrar definitivamente Beatriz ao quadro do TRF3. “A denúncia e luta contra o assédio moral no Judiciário também seguem”, é afirmado em texto no site do sindicato.