SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE E CUT

AÇÃO SINDICAL

Universidades são pichadas com frases racistas e símbolos nazistas; Sintrajufe/RS constrói núcleo para combater racismo também no Judiciário

Nesta semana, duas universidades de São Paulo foram pichadas com frases e símbolos que demonstram a urgência de combater a intolerância, o ódio e o preconceito no Brasil. Palavras de ordem racistas e suásticas nazistas foram vistas na Universidade de São Paulo (USP) e na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Suásticas foram pichadas pelo menos oito vezes nas paredes da vivência estudantil do Diretório Central de Estudantes (DCE) da USP, ao lado da sede política do Diretório. Ocorreu o mesmo na Faculdade de Direito da mesma universidade. Já na Unifesp, uma suástica foi desenhada ao lado de ameaças a um estudante negro e LGBT. Na quinta-feira, 1º, foi a vez de o Conjunto Residencial da Universidade de São Paulo (Crusp), moradia para estudantes da USP, amanhecer com pichações. Dessa vez, uma frase: “Volta P/ África”. Conforme os estudantes, a maioria dos moradores do Crusp são pessoas negras.

Na semana passada, pichações com apologia à ditadura militar foram encontradas nos prédios do TRE/RJ e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RJ). Na manhã de sexta-feira, 25, foram notadas, nos prédios do TRE e da OAB, inscrições como “AI-5 já”, fazendo referência ao ato institucional da ditadura que, em 1968, agravou a perseguição a opositores, cassando mandatos de parlamentares, suspendendo direitos políticos e radicalizando a repressão que teve como pontos-chave a tortura e o assassinato cometidos pelo Estado por razões políticas.

As ações racistas, nazistas e de defesa da ditadura militar se conectam em um ambiente de intolerância e ódio, não é por acaso que se sobressaem no mesmo momento em que movimentos criminosos acampam em frente a quartéis pedindo um golpe militar, assistidos pela tolerância das forças de repressão do Estado. O racismo é uma das faces desse processo, estando também presente sob diversos ângulos no Estado e nos serviços públicos, inclusive no Judiciário.

Sintrajufe/RS organiza Núcleo de Negras e Negros

Esse é um dos motivos pelos quais o Sintrajufe/RS está formando um novo núcleo do sindicato, o Núcleo de Negras e Negros. A criação do núcleo foi uma deliberação de Congresso Estadual da categoria e deve se tornar um importante instrumento para o fortalecimento da luta antirracista e outras pautas específicas. Embora essas pautas passem também pelo conjunto da atuação da entidade, a criação de um núcleo amplia o espaço de negras e negros na construção dessas lutas, ajudando na auto-organização e possibilitando uma melhor atuação do sindicato.

O racismo estrutural e institucional precisa ser combatido pela sociedade e pelo movimento sindical. A distorção no número de negros e negras no serviço público em relação a seu peso na população, e a sua concentração nos serviços terceirizados, por exemplo, é a prova de que há muito a ser feito. Não são poucos os relatos de casos de racismo dentro do próprio Poder Judiciário.

A próxima reunião para formação do Núcleo ocorre na segunda-feira, 5, às 19h30min, em formato híbrido (presencial e virtual). Veja AQUI todas as informações.