SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Núcleo de Pessoas com Deficiência tem reunião dia 1/7 para escolha de representantes no Encontro Nacional da Fenajufe

Ler conteúdo

No dia 1º de julho, às 19h30min, o Núcleo de Pessoas com Deficiência do Sintrajufe/RS (NPCD) realiza reunião, em formato online. Na ocasião, serão escolhidos os e as representantes do sindicato no Encontro Nacional da Fenajufe de Pessoas com Deficiência, evento inédito que acontecerá em formato híbrido nos dias 9 e 10 de julho.

Para o Encontro Nacional, cada sindicato poderá eleger um titular e um suplente de cada ramo e instância, observando, sempre que possível, as diversas deficiências e a paridade de gênero. No virtual, o encontro acontecerá pela plataforma Zoom; no presencial, será em Brasília, no auditório da nova sede da federação.

Também estará na pauta da reunião a avaliação do estudo apresentado pela assessoria jurídica da Fenajufe sobre mudanças no projeto de lei 454/2014, da aposentadoria especial, que está obsoleto devido às mudanças promovidas pela reforma previdenciária.

As reuniões do Núcleo são abertas a todos e todas as servidoras PCD do Judiciário Federal e do Ministério Público da União no RS, mas somente poderá se inscrever para o Encontro Nacional quem for sindicalizado.

O link da reunião será repassado pelo sindicato. Para recebê-lo ou para participar do grupo de WhatsApp do Núcleo, basta manifestar interesse pelo e-mail politicassociais@sintrajufe.org.br.

Sobre o NPCD

O Núcleo de Pessoas com Deficiência do Sintrajufe/RS (NPCD) foi criado em 2001, com o objetivo de atender às necessidades específicas desse segmento da categoria. Possui caráter consultivo, mas pode deliberar sobre temas a ele delegados pelas instâncias diretivas ou deliberativas.

Desde sua criação, o NPCD realizou encontros, seminários e reuniões. Em sua atuação nas lutas das pessoas com deficiência no Rio Grande do Sul e no país, defende, entre outros pontos, a implementação de políticas públicas que garantam a acessibilidade e o respeito às diferenças e às necessidades de cada um e cada uma.