SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

UNIDOS SOMOS FORTES

Mesmo com pedido de prisão contra sindicalistas e perseguição, greve supera ameaças e arranca conquistas; não há outro caminho senão o da mobilização

Ler conteúdo

Na manhã desta quinta-feira, 17, os trabalhadores e as trabalhadoras do município de Florianópolis encerram uma greve que haviam iniciado sete dias atrás. A greve, em defesa dos serviços públicos e de direitos dos municipários, foi encerrada com uma grande vitória contra o prefeito Gean Loureiro (DEM), em mais uma demonstração de que, mesmo sob ataques e ameaças, a luta dos trabalhadores pode resultar em importantes conquistas.

No início da semana, o Sintrajufe/RS noticiou a luta dos servidores e das servidoras, denunciando as perseguições por parte da Prefeitura, que chegou a pedir na Justiça a prisão de lideranças, o bloqueio das contas do sindicato e a cobrança de multa de dirigentes e grevistas. Entre outras pautas, a greve era contra a privatização dos serviços de coleta de lixo, reajuste para servidores da saúde, cumprimento do acordo coletivo com os trabalhadores da educação e pelo chamamento dos aprovados em concurso para a assistência social.

A greve foi encerrada com importantes vitórias: na Comcap, responsável pelo recolhimento do lixo, o acordo coletivo foi renovado até novembro e terá que ser respeitado; também na Comcap, a luta freou o projeto privatista da Prefeitura e a coleta terceirizada terá que se manter nas regiões em que atua hoje. O movimento também conseguiu o pagamento da primeira parcela do Plano de Carreira já no próximo salário, uma luta travada há anos pela categoria. No Magistério, nenhum professor vai receber menos que o valor do Piso Nacional de R$ 3.845,63 em seu salário-base. Para quem está em início de carreira, isso representa 33,2% de reajuste, com o pagamento sendo feito já na próxima folha, e as promoções voltam a ser pagas, já com previsão orçamentária. As perseguições também foram derrotadas: nenhum trabalhador será punido ou demitido, aqueles que tenham sido demitidos serão reincorporados, e o sindicato da categoria (Sintrasem) não será multado. Serão ainda montadas comissões para avaliar as condições de trabalho em todos os setores da Prefeitura e da Comcap. Dessa forma, conforme o Sintrasem, “avançamos em todas as cláusulas e mostramos para toda a cidade que a luta vale a pena”.


Dia 23 tem ato! Sintrajufe/RS e outras entidades seguem em luta na campanha salarial unificada

O exemplo de Florianópolis é mais uma boa demonstração de que, com mobilização, é possível conquistar. O Sintrajufe/RS e outras entidades vêm construindo ações de mobilização nesse sentido, e a próxima está marcada para o dia 23 de fevereiro: um ato público em frente ao prédio da Receita Federal em Porto Alegre, conhecido como “chocolatão”. Será mais um passo para que também a nossa luta resulte em ganhos e direitos para as diversas categorias do funcionalismo, que vêm sendo atacadas cotidianamente pelo governo Bolsonaro (PL) e por governos estaduais e municipais. Neste dia 15, o presidente do STF se comprometeu a pautar em Sessão Administrativa as reivindicações dos servidores e servidoras. Somente a participação de todos os colegas poderá garantir a reposição das perdas de 19.99% acumuladas durante o governo Bolsonaro.