SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

FORMAÇÃO

Em sua 5ª edição, dia 14, projeto Conversas Impertinentes do Sintrajufe/RS debate “O colapso da democracia”

Ler conteúdo

Na próxima quarta-feira, 14, às 19h, o Sintrajufe/RS promove a live “O colapso da democracia: o que fazer?”. Para debater o tema, estarão presentes Dinah Lemos, colega aposentada, mestre em História do Brasil e escritora, e José Vieira Loguercio, colega aposentado, mestre e doutor em Ciência Política. A atividade será transmitida pelos canais do sindicato no YouTube e no Facebook.

A live marca o retorno do Conversas Impertinentes, agora em sua quinta edição e online. A proposta é abrir um espaço de debates para possibilitar a discussão de temas importantes para a sociedade e que possamos compreender e atuar na conjuntura na qual conduzimos nossas pautas.

Será um momento de análise e reflexão sobre o colapso da democracia. E como sindicatos e movimentos sociais organizados podem resistir e travar as suas lutas, sobretudo em uma sociedade em transformações, cada vez mais algoritmizada, digital e com acelerada precarização do trabalho.

Estarão em debate os antecedentes políticos, sociais e econômicos do golpe de 2016, seu desfecho e as consequências culminantes na eleição de Bolsonaro. Assim como a emergência de ações e manifestações de intolerância nas ocupações dos espaços públicos, os ataques ao Estado democrático de direito e às garantias individuais. A escalada autoritária iniciada sob o governo de Michel Temer e em pleno andamento no governo atual, inclusive com ameaças constantes de novo golpe, também são propostas para o debate dos convidados.

Sobre os painelistas

Dinah Lemos é servidora aposentada da Justiça do Trabalho. Mestre em História, participou do movimento estudantil no final da década de 70 e do movimento feminista nos anos 80. Também é autora do livro “Zeferina, uma cabala brasileira”.


José Vieira Loguercio é servidor aposentado da Justiça do Trabalho. Mestre e doutor em Ciência Política e conselheiro da Fundação Maurício Grabois/RS. Atuou no movimento estudantil no período da ditadura civil-militar e foi presidente do Diretório Acadêmico da Franklin Delano Roosevelt (Faculdade de Filosofia da Ufrgs) em 1968, ano de edição do AI-5.

FALE CONOSCO

Font Resize
Contraste