SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE E CUT

NAF

Na próxima quinta-feira, 29, Quintativa do Núcleo dos Aposentados, Aposentadas e Pensionistas do Sintrajufe/RS terá visita a exposição sobre Lupicínio Rodrigues

Acontece na próxima quinta-feira, 29, a edição de junho da Quintativa do Núcleo dos Aposentados, Aposentadas e Pensionistas do Sintrajufe/RS (NAF). Desta vez, a atividade será uma visita à exposição “Lupi, pode entrar que a casa é tua”, que mostra a vida e a obra de Lupicínio Rodrigues.

A exposição está acontecendo no Farol Santander, localizado na rua Sete de Setembro, 1028, no Centro Histórico de Porto Alegre. A visita do NAF será às 15h e o ponto de encontro será na bilheteria do edifício, a partir das 14h30min.

O Sintrajufe/RS irá disponibilizar vinte ingressos para aposentados, aposentadas e pensionistas sindicalizados ao sindicato. Eventuais outras despesas no local correrão por conta de cada um ou cada uma. Havendo mais inscritos do que o número de ingressos disponíveis, será realizado sorteio.

Assim, para participar da atividade, deverá ser solicitada a inscrição até o dia 28 de junho, às 12h, pelo e-mail aposentadoria@sintrajufe.org.br, por mensagem de Whatsapp para o telefone (51) 98012-6003 ou por ligação para o Sintrajufe/RS no número (51) 3235-1977.

A exposição

A exposição “Lupi, pode entrar que a casa é tua” mostra a vida e a obra de Lupicínio Rodrigues, o mais importante compositor de música popular da história do Rio Grande do Sul. Com o apoio de recursos audiovisuais e imersivos, o visitante conhece o bairro Ilhota, onde Lupi nasceu, acompanha sua trajetória até o estrelato nacional, em plena era do rádio, nos anos 1930 e 1940, e sua posterior redescoberta por artistas como Elza Soares, Gilberto Gil e Caetano Veloso, na década de 1970.

Mestre do samba-canção e da dor-de-cotovelo, Lupi também foi sambista, carnavalesco, soldado, contínuo, cronista de jornal, defensor de direitos autorais e um dedicado pai de família. Mas foi, antes de qualquer coisa, um grande boêmio, que encantava as madrugadas musicais da sua Porto Alegre, de São Paulo e do Rio de Janeiro. Além de extenso levantamento iconográfico, a mostra exibe ao público objetos pessoais de Lupi, alguns pela primeira vez, e, num bar cenográfico, o próprio Lupi, através de um holograma, estará interpretando seus sucessos. Para as novas gerações, cinco músicas de Lupicínio foram regravadas e registradas em vídeo numa roupagem contemporânea e ousada, que inclui até versões em hip-hop e rock. “Lupi, pode entrar que a casa é tua” é, também, um mergulho nas transformações sociais e culturais da capital dos gaúchos e presta merecido tributo a um de seus filhos mais famosos.

A exposição tem curadoria de Carlos Gerbase, consultoria artística de Lupicínio Rodrigues Filho e consultoria musical de Arthur de Faria.