SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

DESTAQUE

Justiça Federal: Em ação do Sintrajufe/RS contra retorno ao trabalho presencial no TRF4, juiz posterga análise de liminar para a sentença

Justiça Federal: Em ação do Sintrajufe/RS contra retorno ao trabalho presencial no TRF4, juiz posterga análise de liminar para a sentença
Ler conteúdo

Em outubro de 2020, o Sintrajufe/RS moveu a ação civil pública 5054734-03.2020.4.04.7100, questionando a resolução do presidente do TRF4, desembargador Victor Luiz dos Santos Laus, que determinou a retomada de atividades presenciais na Justiça Federal da 4ª Região (Resolução 47/2020). Passados mais de dois meses, no dia 14 de dezembro, foi assinada pelo juiz federal Luiz Clóvis Nunes Braga, da 4ª Vara Federal de Porto Alegre, decisão postergando a análise do pedido de tutela de urgência para o momento da sentença.

A ação

Na ação, o Sintrajufe requereu a manutenção da prestação das atividades via trabalho remoto, ou, sucessivamente, a testagem dos servidores e servidoras que fossem chamados à realização de atividades presenciais. O sindicato reafirmava, com a medida, sua preocupação frente ao quadro da pandemia, destacando que não havia uma redução dos números por um período de pelo menos 14 dias e que a retomada de atividades presenciais provocaria um risco de contágio entre servidores e servidoras, terceirizados e usuários da Justiça Federal.

A crítica do Sintrajufe/RS contra a retomada já havia se mostrado correta, pois a própria Presidência do tribunal teve que rever os termos da Resolução 47/2020. Inicialmente, a resolução previa etapas com 20% e 30% de servidores em trabalho presencial. No dia 30 de novembro do ano passado, foi publicada a Resolução 61/2020, com a redução deste percentual para 10% em função do agravamento da pandemia. Ou seja, a posição do Sintrajufe/RS, considerando os números da pandemia, se mostrava correta: não era o momento de retomada de atividades presenciais. Vale lembrar que a quase totalidade das atividades vinha sendo realizada pelos servidores em trabalho remoto. Posteriormente à edição da Resolução 61/2020 e antes da decisão do juiz da 4ª Vara Federal, houve agravamento dos números da pandemia, o que só reforça a tese defendida pelo Sintrajufe/RS na referida ação civil pública.

Com estes elementos, é urgente que o juiz reconsidere sua decisão e conceda a liminar ou profira a sentença com a determinação das medidas defendidas pelo sindicato, evitando um agravamento de casos com a retomada de atividades presenciais na Justiça Federal, especialmente considerando-se que os servidores e servidoras têm feito todos os esforços possíveis para manter as atividades com a realização de trabalho remoto, muitas vezes com demanda maior ainda do que a realizada presencialmente. Além disso, no caso do TRF4, já há casos confirmados de colegas contagiados que trabalharam presencialmente, ampliando os riscos para todos que circulam no prédio.

FALE CONOSCO

Font Resize
Contraste