SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

ALERTA

Sintrajufe/RS envia ofício após informação sobre reinício de perícias médicas na Subseção Judiciária de Carazinho em meio a agravamento da pandemia

Ler conteúdo

Na última semana, o Sintrajufe/RS enviou ofícios às administrações dos tribunais e órgãos do Judiciário Federal e do Ministério Público da União no Rio Grande do Sul defendendo a manutenção do trabalho remoto. O mesmo pedido foi feito, de forma direta, à Direção do Foro da Seção Judiciária do Rio Grande do Sul, com cópia à Subseção Judiciária de Carazinho, onde há informações de retomada das perícias médicas, mesmo em um momento de agravamento da crise sanitária na região, motivo pelo qual o sindicato pediu a suspensão dessas atividades. Cópia do documento ainda foi encaminhada à Corregedoria Regional da Justiça Federal da 4ª Região.

O Sintrajufe/RS lembra que, no dia 16 de maio, o Hospital de Caridade de Carazinho divulgou nota aberta à comunidade informando que já extrapolava em 200% sua capacidade de atendimento de pacientes em UTIs para Covid-19, assim como a dificuldade para a aquisição de medicamentos para intubação e manutenção de intubados. A nota do Hospital informa também que não havia mais nenhum equipamento respirador pulmonar disponível e que mais de 70% dos pacientes internados com Covid-19 estão em faixas etárias abaixo de 50 anos.

Veja aqui:

Veja abaixo a nota do Hospital de Caridade de Carazinho:

Ofício enviado às administrações destaca piora nos números da pandemia

Na correspondência, o sindicato aponta que, no dia 27 de abril, o governo do Rio Grande do Sul modificou, de um dia para o outro, a cor da bandeira de preta para vermelha do sistema de distanciamento controlado. É público que a mudança se deu pela contrariedade do governador Eduardo Leite (PSDB) com uma decisão desfavorável na Justiça Estadual sobre o retorno às aulas presenciais. O Sintrajufe/RS, em consonância com as entidades da saúde, pondera que a mudança da cor das bandeiras e metodologia poderia sugerir um recuo nos indicadores da pandemia do novo coronavírus no Estado, mas, se isso ocorreu, foi em um patamar muito elevado, superior ao do início da onda atual, e com uma taxa de transmissibilidade muito alta.

No ofício, o Sintrajufe/RS alerta que “a situação ainda é bastante preocupante e, por essa razão, vem defender a manutenção das medidas atuais, com a manutenção do trabalho remoto e suspensão das atividades presenciais nas unidades do Judiciário Federal e do Ministério Público da União no Rio Grande do Sul”.

O Sintrajufe/RS também destaca que, infelizmente, nos primeiros dias deste novo sistema de bandeiramento, já houve alerta, em função do avanço dos números da pandemia nas regiões de Cachoeira do Sul, Cruz Alta, Ijuí, Passo Fundo e Santo Ângelo. Informações acerca da circulação no estado de uma variante indiana também aumentam as preocupações sobre a retomada do trabalho presencial e a concentração em lugares fechados sem que haja uma ampla vacinação, a testagem em massa, o rastreamento e o isolamento dos contactantes.

Em razão disso, o sindicato reforça que a necessidade de reduzir a contaminação pelo vírus para a segurança da população, incluindo servidoras e servidores, magistrados e magistradas, terceirizados e terceirizadas, além dos demais usuários que acessam os prédios do Judiciário Federal e do Ministério Público da União. Nunca é demais lembrar que desde o início do trabalho remoto o atendimento das demandas da população não parou.