SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

CANCELA A REFORMA

Quarta-feira foi de muita pressão em Brasília contra a reforma administrativa

Ler conteúdo

O movimento “Cancela a reforma” está mobilizando servidores e servidoras em todo o país nesta semana, em que a Comissão Especial da PEC 32 discute e pode votar a proposta de reforma administrativa. Nesta quarta-feira, 15, as delegações dos estados que estão em Brasília, incluindo a caravana do Sintrajufe/RS, fizeram uma grande pressão falando com deputados e deputadas, mostrando cartazes e falando palavras de ordem dentro da Câmara dos Deputados.

A pressão aumenta, e os resultados aparecem. O PSB informou que fechou posição contra a PEC 32/2020. Procurado, o deputado peessebista gaúcho Heitor Schuch confirmou que seguirá a posição da bancada e votará contra a proposta. Por outro lado, a deputada Liziane Bayer, pressionada a manifestar-se, disse que está avaliando se vai “comprar briga” com o partido, pois vê pontos positivos na PEC, mesmo que não tenha dito quais.

Outro deputado do Rio Grande do Sul, Afonso Motta, também divulgou, em um programa do Sindiserv, de Caxias do Sul, que votará contra a PEC 32. Segundo ele, a proposta não busca a qualificação, mas o desmantelamento dos serviços públicos.

Maia adia novamente apresentação de novo relatório

O relator da PEC 32/2020 na Comissão Especial, deputado Arthur Maia (DEM-BA), deve divulgar um novo relatório (ele já apresentou um substitutivo no final de agosto). Para a oposição, seria uma forma de colocar ainda mais pontos prejudiciais, que teriam a discussão prejudicada pelo tempo exíguo. No entanto, devido às pressões que a comissão vem sofrendo, até o início da noite desta quarta-feira, 15, a proposta não havia sido divulgada.

Nesses dois dias, foram mais 15 horas de reunião, com falas de diversos deputados e deputadas. Foram mais de 60 contra a reforma e somente 10 a favor.

Uma nova reunião da Comissão Especial está marcada para a manhã desta quinta-feira, 16. Espera-se que Maia explique o novo parecer e haverá depois a apresentação dos destaques dos parlamentares. Na sequência, está previsto que tenha início o processo de votação. A oposição tentará reabrir os prazos, para que haja mais duas sessões para debates.

Veja abaixo as informações com o diretor do Sintrajufe/RS Ramiro López:

A diretora do Sintrajufe/RS Clarice Camargo avalia que as visitas aos gabinetes dos parlamentares, a pressão nas ruas e nas redes sociais está dando resultado. Para ela, a visibilidade dos protestos e a série de denúncias contra o governo, como está ocorrendo na CPI da Covid, por exemplo, está se refletindo nas mudanças de posição de deputados e deputadas: “não vai ser fácil como estavam esperando, isso repercute negativamente e desacredita esse tipo de reforma”.

O colega da JT Novo Hamburgo Cláudio Azevedo, que também está em Brasília, diz que o governo e sua base no Congresso estão buscando garantir os 308 votos já na tramitação da Comissão de Constituição e Justiça, atuando nos bastidores e fugindo do debate. “Porém, enfrentamos na rua e aqui nos bastidores, com uma presença forte, convincente e ruidosa.” A entrada foi bloqueada, é difícil acessar a Câmara, mas “estamos aqui gritando a pleno pulmão que quem votar não vai voltar. Porque estamos mostrando que, quando mais o povo brasileiro precisa do Estado, vem essa reforma para destruí-lo. “O que sentimos aqui é que podemos, sim, derrotar essa PEC. Depende de nós. Mesmo com pandemia, precisamos de presença. Precisamos de mensagens nas redes sociais, manifestações e todas as cobranças possíveis. Nenhum servidor, servidora, trabalhadora ou trabalhador público pode ser tratado como obsoleto”.

Pressão nas redes sociais

É importante reforçar a pressão nas redes sociais. Por isso, o Sintrajufe/RS divulga abaixo os contatos dos deputados do Rio Grande do Sul que fazem parte da Comissão Especial. São três deputados titulares e dois suplentes, sendo que um dos suplentes, Paulo Pimenta (PT), já enviou manifestação ao Sintrajufe/RS garantindo o voto contra a reforma. Além de Pimenta, já enviaram ao Sintrajufe/RS mensagens no mesmo sentido as deputadas Fernanda Melchionna (Psol) e Maria do Rosário (PT) e os deputados Bohn Gass (PT), Henrique Fontana (PT), Marcon (PT) e Pompeo de Mattos (PDT). O PSB também já manifestou posição contra a proposta. Abaixo, veja os contatos e envie mensagens aos deputados lembrando: deputado que vota contra os serviços públicos não volta!