SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

FOME NO NORDESTE

Programa de combate à fome, Alimenta Brasil é cortado pelo governo federal e distribuição de leite para famílias pobres cai 87%

O programa do governo federal que distribui leite para famílias em situação de vulnerabilidade e insegurança alimentar está sendo desmontado pelo governo de Jair Bolsonaro (PL). A queda de litros distribuídos é de 87% se compararmos o período de janeiro a agosto de 2022 com o mesmo período do ano passado.

Atualmente chamado Alimenta Brasil, o programa nasceu em 2003, no governo Lula (PT), como Programa de Aquisição de Alimentos, tendo como finalidades promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar. O Alimenta Brasil é o principal programa de aquisição de alimentos da agricultura familiar. Ele compra da produção agrícola de famílias e doa a comida para pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional.

Entre 2011 e 2012, o programa teve seu ápice, com 28 mil produtores vendendo leite ao governo federal, com a distribuição realizada no território da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), que abrange os nove estados da região Nordeste e o norte e nordeste de Minas Gerais. Em outubro de 2021, eram pouco mais de 4 mil produtores realizando essa venda. Em 2022, o número despencou para apenas 54 produtores. Em janeiro deste ano, nenhum litro de leite foi comprado por meio do programa.

A verba destinada para o Alimenta Brasil foi reduzida em 97%, para R$ 2,6 milhões. Em 2010, recebeu R$ 622 milhões, mas tem sofrido cortes nos últimos anos.

Conforme dados do próprio governo, há atualmente quase 10 milhões de famílias em situação de extrema pobreza no Nordeste, com renda per capita de até R$ 105. Elas deveriam ter direito ao benefício, mas o estrangulamento do programa as deixa sem leite. Ao mesmo tempo, os produtores da região veem seu sustento ser prejudicado diretamente pelo desmonte promovido por Bolsonaro.

33 milhões passam fome no Brasil

Nacionalmente, são 33,1 milhões de brasileiros e brasileiras passando fome. Mais da metade (58,7%) da população brasileira convive com insegurança alimentar em algum grau, o que significa que 125,2 milhões de brasileiros estão nessa situação.

Mesmo nesse contexto, os principais programas de assistência alimentar foram praticamente extintos do Orçamento apresentado pelo governo federal para 2023. Ações importantes tiveram cortes que variam de 95% a 97% na verba prevista para o próximo ano, como o Alimenta Brasil.