SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

CULTURA E DIVERSIDADE

Inaugurada na sexta, 1º, exposição “No Âmago da Transgressão: história trans do Rio Grande do Sul” fica no Memorial do Rio Grande do Sul até 18 de agosto

Ler conteúdo

Foi inaugurada na última sexta-feira, 1º de julho, a exposição “No Âmago da Transgressão: história trans do Rio Grande do Sul”. Com curadoria de Caio Tedesco e Morgan Lemes, a exposição pode ser visitada no Memorial do Rio Grande do Sul (Praça da Alfândega – rua Sete de Setembro, 1020, 2º andar) até o dia 18 de agosto.

Conforme a divulgação, “o projeto de historiografia busca reivindicar o direito da população trans, sobretudo brasileira, a ter passado”. Morgan Lemes explica que “a exposição conta a história de dois coletivos e uma ONG, a ONG Igualdade, o Coletivo Homens Trans em Ação e o Coletivo Trans Enem, que é um coletivo de educação popular”. Conforme ele, “a história é gigante, a gente tentou contar tudo o que a gente pode. A gente vem contado com fotos, reportagens, um pouco da história trans, para transgredir. Está sendo lindo, cheio de pessoas trans, pessoas não binárias, lésbicas, gays, cis, não-cis… enfim, a diversidade. Está todo mundo aqui. E está tendo uma acolhida e um afeto muito grandes. É uma exposição de afeto, muito amor e carinho”.

Já Caio Tedesco, que é historiador, diz que é “a realização de um sonho estar inaugurando uma exposição sobre a história trans. Eu comecei a estudar História faz cerca de dez anos, na graduação, e passei por muito tempo de angústia, de sentir que eu não tinha história. E o meu intuito, nesse percurso, foi, já que ninguém fez uma história pra nós, que nós façamos. Foi muito emocionante encontrar o Morgan no meio desse caminho, construir isso juntos, não andar sozinho. A exposição é feita de muito carinho, muito afeto e muita luta, uma luta que vem já de tempos longínquos. É um dia de celebração, de orgulho, de resistir para existir, de mostrar que a gente é gente, sim. Sendo uma exposição que faz parte da programação do Mês do Orgulho, da Secretaria de Estado do Rio Grande do Sul. Toda história trans é uma história de todo mundo, porque a História é sempre relacional. Mas a gente também está falando de orientação sexual, de dissidência de gênero, porque tanto pessoas trans quanto pessoas cis têm orientações sexuais diversas, e essa história anda imbricada, nós andamos juntos. A inauguração da exposição é um marco que mostra a gente apostando em um futuro mais plural, mais democrático e mais acolhedor para todo mundo”.

A diretora do Sintrajufe/RS Luciana Krumenauer aponta que “entendemos que as pautas do mundo do trabalho são sempre transversalizadas pelas pautas de diversidade da sociedade. Portanto, o Sintrajufe/RS ter sido convidado para a inauguração desta exposição, que retrata uma parcela da população sempre muito marginalizada no mundo do trabalho, demostra que estamos atentes a essa diversidade, procurado a equidade de condições para todes. Convido toda a categoria a ir na exposição conhecer essa história que está sendo contada de forma tão marcante e necessária”.

Serviço:

O quê: Exposição “No Âmago da Transgressão: história trans do Rio Grande do Sul”
Onde: Memorial do Rio Grande do Sul (Praça da Alfândega – rua Sete de Setembro, 1020, 2º andar), Porto Alegre
Quando: de 1º de julho a 18 de agosto de 2022