SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

DESTAQUE

Guedes não descarta reforma administrativa nos próximos meses; Maia cobra envio

Ler conteúdo

Foto: AMANDA PEROBELLI

Durante live promovida pele setor industrial, na última sexta-feira. 3, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo não desistiu da reforma administrativa nos próximos meses. O ministro falou sobre a reforma quando citou o congelamento do salário de servidoras e servidores públicos municipais, estaduais e federais até dezembro de 2021.

“A reforma administrativa está na pauta. Podemos voltar a isso ainda neste governo. Voltaremos”, afirmou Guedes. O ministro explicou que a intenção era ter emendado a reforma juntamente com as discussões sobre as contrapartidas (suspensão dos reajustes salariais) a estados e municípios para a liberação do auxílio financeiro na pandemia.

Nessa terça-feira, 7, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cobrou do governo o envio das reformas administrativa e tributária ao Congresso. “Vejo com pessimismo a decisão do governo de abandonar a linha de reformar o Estado. Estou fazendo o debate do futuro, na reforma administrativa deve ter o foco maior na meritocracia, menos estabilidade, uma cadeia salarial com mais tempo, salários médios mais baixos; e um sistema tributário que garanta segurança jurídica”, disse. Maia admitiu que não sabe se a reforma administrativa vai chegar este ano.

Essas medidas do governo visam à redução da presença do Estado, à desregulamentação de direitos constitucionais e à regulamentações de restrições e obrigações, além da privatização dos serviços públicos. A Fenajufe, por meio das assessorias parlamentar e jurídica, acompanha essas movimentações do governo e de alguns parlamentares que buscam, tão somente, a retirada de direitos já garantidos. A federação também iniciou audiências públicas com lideranças da Câmara para tratar das propostas de corte salarial, ponto de muita preocupação para a categoria. Uma campanha nacional de valorização do serviço público também está no ar nas redes sociais da federação.

Fonte: Fenajufe