SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

JUSTIÇA ELEITORAL

Fenajufe solicita audiência com Fachin para tratar de eleições e segurança dos servidores

Ler conteúdo

A Fenajufe solicitou audiência com o novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, para tratar de questões relacionadas às eleições de 2022 e da segurança de servidores e servidoras e dos cartórios eleitorais.

A federação levará ao ministro, também, as demandas discutidas no Encontro Nacional de Servidores e Servidoras da Justiça Eleitoral (Eneje), realizado em agosto de 2021. A segurança sanitária e física nas eleições deste ano foi um dos temas do encontro, uma vez que servidoras e servidores estarão expostos a todo tipo de violência, o que pode ser maximizado pelos reiterados ataques de Jair Bolsonaro (PL) ao sistema eleitoral e à democracia.

Em entrevista à Folha de S. Paulo, o coordenador da Fenajufe e diretor do Sintrajufe/RS Edson Borowski afirmou que muitos servidores temem atos de violência durante as eleições de 2022. “Precisamos construir uma política para garantir que o funcionalismo possa exercer suas atividades com segurança”, afirmou. O dirigente alertou que o país vive uma “situação de intolerância política muito grave e de ameaças ao sistema eleitoral”.

Em reunião no início de fevereiro com o então diretor-geral do TSE, Rui Moreira de Oliveira, a federação havia levado pautas como: alteração do critério de escolaridade para ingresso na carreira de técnico (NS) e recomposição salarial, unificação dos valores assistência médico-odontológica, auxílio-alimentação, saldo de horas extras de 2020 trabalhadas no período pós-eleitoral e passaporte vacinal para ingresso nos tribunais.

Fachin tomou posse no dia 22 de fevereiro e ficará por seis meses, passando o cargo para o vice, ministro Alexandre de Moraes, que ficará na Presidência até 2024. Fachin será responsável por conduzir as questões relativas à preparação das eleições, mas, a dois meses do pleito, deixará o TSE após completar sua passagem máxima de quatro anos.

Fonte: Fenajufe