SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

APOIO DE PESO

Ex-presidente da República irá receber servidores contrários à PEC 32 e parlamentares da oposição; deputado avisa: quem votar a favor da PEC será expulso do PDT

Ler conteúdo

Na próxima quinta-feira, 7, o ex-presidente Lula (PT) irá se encontrar com parlamentares da oposição e com centrais sindicais, sindicatos e servidores que estão na luta contra a reforma administrativa (PEC 32/2020). O encontro foi confirmado na tarde desta terça, 5, durante ato público contra a PEC, em Brasília, pelo deputado Rogério Correia (PT-MG).

A reunião já estava marcada entre Lula e grupos de parlamentares contrários à PEC, organizados em especial na Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir) e na Frente Parlamentar Mista do Serviço Público. Conforme Correia, Lula irá encontrar-se também com uma comissão de servidores, “porque também quer entrar na luta contra a PEC 32”. Na ocasião, a comissão de servidores deverá entregar a Lula, principal figura da oposição no país, um manifesto sobre a reforma administrativa.

Durante o ato, o deputado Dagoberto Nogueira (PDT-MS), informou que a bancada do seu partido reuniu-se e fechou questão: “quem votar a favor da PEC será expulso do PDT”. Além disso, Nogueira explicou que a posição do partido é de sequer debater emendas à matéria, votando contra a proposta “de cabo a rabo”. Também afirmou que é justamente a mobilização de servidores e servidoras o que vem impedindo o governo de obter os votos necessários para aprovar a PEC.

O deputado Elvino Bohn Gass (PT-RS) também esteve no ato e caracterizou a reforma como “a PEC da precarização, da confirmação dos contratos temporários, a PEC da rachadinha”. Conforme Bohn Bass, a PEC 32 não é boa para o Brasil em nenhum aspecto, e derrotá-la é, também, enfraquecer o projeto mais amplo de Bolsonaro e Guedes. A deputada Fernanda Melchionna (Psol-RS) defendeu, durante o ato, unidade de ação para derrotar Bolsonaro, e lembrou que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), “tem um orçamento secreto na mão pra comprar uma base alugada para o governo” e assim aprovar propostas como a reforma administrativa, motivo pelo qual a mobilização de servidores e servidoras se faz tão importante. Já o deputado Paulo Pimenta reforçou destacou que, quanto mais perto estão as eleições, mais difícil será para o governo aprovar a PEC, e defendeu que “é na mobilização que vamos derrotar o governo Bolsonaro e tudo aquilo que ele representa de ruim para o Brasil”.

Sintrajufe/RS também participa das mobilizações na capital federal

O Sintrajufe/RS está representado nesta semana, mais uma vez, por uma delegação em Brasília. Na capital federal, o sindicato participa das mobilizações e das ações de pressão sobre os parlamentares.

O diretor Ramiro López, que está em Brasília, avalia que nesta semana, os servidores públicos de todo o Brasil dão mais uma demonstração de força e se fazem presentes com uma grande delegação em Brasília dando continuidade ao trabalho de convencimento dos parlamentares para derrotar a PEC 32. A PEC está em banho-maria: como o governo não tem os 308 votos, vão permanecer aguardando que eles consigam, nas suas articulações, reunir a quantidade de votos necessária. Não me parece que o presidente da Câmara vai arriscar colocar em votação sem ter os votos. Estamos chegando perto do fim do ano, em seguida a pauta do Congresso passa a ser ocupado pelo Orçamento e a PEC pode acabar indo para a geladeira. Mas é importante que a gente não baixe a guarda e que mantenha a mobilização, porque em um vacilo nosso eles podem conseguir aprovar”.

Para o colega Paulo Cesar Canavesi, da Justiça do Trabalho, que também faz parte da delegação do Sintrajufe/RS em Brasília, “os atos foram e estão sendo bem fortes. No ato realizado à tarde, foram várias pessoas do país todo se manifestando nos microfones: representantes de classe de servidores, como a presidenta do Cpers, e alguns parlamentares, como Paulo Pimenta, Fernanda Melchionna, Elvino Bohn Gass e outros. Estão falando que o movimento cresceu e está melhor do que na semana passada e que está sendo decisivo para a não colocação em pauta da PEC 32”.

Claudio Azevedo, colega da JT e diretor de base, também está na capital federal e aponta que “nossa presença ininterrupta demonstra efetividade tanto nos resultado legislativo quanto na consciência de nossa categoria através de sua participação. Ontem (segunda) à tarde iniciamos o trabalho no Aeroporto Jucelino Kubitschek, já com forte presença dos servidores de várias entidades. Mas hoje encontramos toda a delegação numa estrepitosa recepção aos parlamentares desde as 7h da manhã, com aumento significativo em relação às semanas anteriores. No ato da tarde, nossa presença foi marcante, as entidades ampliaram significativamente suas delegações. As falas foram pela continuidade e fortalecimento do movimento, pois, se o governo tivesse os votos de que precisa, já teria levado a plenário. Fizemos também, de nossa parte, visitas às bancadas, inclusive no Senado”.

Envie mensagens aos deputados e deputadas!

Se você não enviou, envie. Se já fez, envie novamente. A luta contra a PEC 32/2020 precisa ser intensificada, pois a proposta pode ser votada no plenário da Câmara em outubro. Para aprovação, o governo precisa de 308 votos (três quintos) e vai fazer de tudo para conseguir.

O futuro dos serviços públicos e os direitos da população e dos servidores e servidoras está ameaçado pela reforma administrativa (PEC 32/2020) de Guedes e Bolsonaro. Por isso, vamos aumentar a mobilização. A pressão sobre deputados e deputadas tem que ser total. Mande mensagens por WhatsApp e e-mail, comente nas redes sociais deles. Com nossa mobilização, podemos derrotar essa proposta.

Veja abaixo os contatos dos deputados do MDB:

Veja AQUI a lista completa e os contatos dos parlamentares gaúchos.