SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

DESTAQUE

Em ato na Praça da Matriz, Sintrajufe/RS e outras entidades denunciam ataques de Bolsonaro e Leite aos serviços públicos

Em ato na Praça da Matriz, Sintrajufe/RS e outras entidades denunciam ataques de Bolsonaro e Leite aos serviços públicos
Ler conteúdo

O Dia Nacional de Luta, com ato em diversas partes do país contra a reforma administrativa, teve, em Porto Alegre, um protesto que reuniu servidores e servidoras municipais, estaduais e federais na Praça da Matriz. Sindicatos, entre os quais o Sintrajufe/RS, centrais sindicais e movimentos estudantis e populares participaram da mobilização, que denunciou os ataques dos governos de Jair Bolsonaro (sem partido) e Eduardo Leite (PSDB) aos serviços públicos.

A atividade em Porto Alegre foi convocada a partir da Frente dos Servidores Públicos do RS, que reúne entidades representativas dos servidores das três esferas e da qual o Sintrajufe/RS faz parte. O objetivo foi fortalecer a luta contra a reforma administrativa (PEC 32/2020) e as outras propostas de Bolsonaro que desmontam os serviços públicos, como a PEC Emergencial (186/2019).

Embora o senador Márcio Bittar (MDB/AC) tenha retirado da PEC Emergencial a redução de salários e jornada, já manifestou vontade de que ela constasse no texto. Somando-se essa intenção à pressão de governadores e de setores do empresariado, não se pode descartar o retorno desse ponto. Além disso, no Rio Grande do Sul, o governador Eduardo Leite já lançou uma proposta de teto de gastos estadual que, seguindo a linha federal, pode desmontar os serviços públicos no estado. Essas medidas, federais e estaduais, foram denunciadas ao microfone durante o ato.

Durante a atividade, ao microfone, o diretor do Sintrajufe/RS Marcelo Carlini falou da reforma administrativa de Bolsonaro e dos ataques locais: “Diferente do que o governo fala, essa reforma quer acabar com os serviços públicos que atendem a milhares de brasileiros. Hoje o Bolsonaro está aqui, vai se reunir com o Melo e o Leite e o que eles têm em comum é que todos são inimigos da classe trabalhadora. Precisamos pôr um fim nesses governos. Para isso, nossa unidade é fundamental”, defendeu.

A diretora Arlene Barcellos também falou durante o ato. Ela aproveitou o espaço para denunciar o caso de assédio no TRF4, já noticiado pelo Sintrajufe/RS. Ela lembrou que o caso se refere a colegas concursadas, cujos cargos têm garantia de estabilidade e, mesmo assim, estão passando por essas dificuldades: “imaginem o que irá ocorrer se for aprovada essa reforma que acaba com os concursos e a estabilidade?”, questionou Arlene. A dirigente lembrou também o caso da atriz Dani Calabresa, da Rede Globo, assediada pelo diretor Marcius Melhiem, em situação recentemente detalhada em reportagem da Revista Piauí, apontando que há muitos casos de assédio nos locais de trabalho e que é preciso que os homens também façam a sua parte, adotando atitudes antimachistas. Arlene ainda convidou os participantes do ato para a mobilização que o sindicato irá realizar em frente ao TRF4, no dia 15 de dezembro, às 14h, relacionada justamente ao caso de assédio no tribunal.

Para Arlene, a reforma administrativa do governo Bolsonaro e a PEC 289 de Eduardo Leite “demonstram que os governos estão alinhados na destruição da prestação do serviço público e não irão descansar enquanto não avançarem nessa pauta. E os atos como o de hoje reforçam a importância da construção da Frente, com servidores municipais, estaduais e federais para denunciar à população o que está em jogo e quem irá perder com essas reformas. Essas reformas visam o fim do serviço público!”, completa.

O diretor Fabrício Loguércio, que também participou da mobilização, explica que “em um ato simbólico, com diversas categorias de servidores e servidoras, marcamos o repúdio aos projetos que atacam o serviço público nas três esferas de governo (municipal, estadual e federal). Em um momento grave como o que estamos passando o país precisa de mais serviços públicos, não menos”

Também diretor do Sintrajufe/RS, Zé Oliveira avalia que “o ato foi mais uma demonstração da importância da unidade dos servidores federais, estaduais e municipais contra a destruição do serviço público, defendida pelo governo Bolsonaro em suas medidas no Congresso e pelo governador Eduardo Leite com seus projetos na Assembleia Legislativa. É fundamental esta compreensão para que todas as entidades atuem articuladamente em defesa dos serviços e dos servidores e servidoras. Também é uma demonstração de que não vacilaremos nesta reta final de ano e início de 2021 na mobilização necessária contra os ataques feitos por estes governos que, na essência, representam projetos que seguem na contramão de um serviço público que atenda as necessidades da população”.