SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

“DEMITA A METADE!”

Dono da Havan pediu demissão de professores para pagar menos imposto

Circula nos últimos dias um áudio que desnuda a forma como o empresariado bolsonarista enxerga os trabalhadores e trabalhadoras e a educação. Luciano Hang, dono da Havan, exige do secretário estadual da Fazenda de Santa Catarina, Paulo Eli, que demita professores e atrase os salários dos educadores para que sobre dinheiro para conceder benefícios fiscais a empresas.

O áudio foi gravado durante reunião em abril de 2018 e, no trecho divulgado, a conversa travada é a seguinte:

Paulo Eli: Eu tenho que pagar os salários dos professores. Estou na iminência de atrasar salários.

Luciano Hang: Atrasa os salários. Paulo, você vai me desculpar. Atrasa os salários, demita.

Eli: Não, eu quero o imposto das lojas.

Hang: Vocês estão pensando só no imposto de vocês para pagar o diabo dos professores. Demite a metade.

Em nota, Hang não negou a conversa e admitiu que pressionava por medidas para “não deixar aumentar alíquota da indústria têxtil”. A demissão da metade dos professores e professoras do estado e o atraso dos salários dos remanescentes seria uma dessas medidas.

Bolsonaro destrói serviços públicos para liberar recursos para banqueiros e deputados

A fala de Luciano Hang está em consonância com o projeto que Jair Bolsonaro (PL) vem aplicando em relação aos serviços públicos. Com seguidos cortes orçamentários, redução de gastos e investimentos, privatizações e, finalmente, a intenção de aprovar a reforma administrativa (PEC 32/2020), o que o governo busca é redirecionar recursos que hoje são utilizados para garantir direitos à população. Esses recursos são reorientados, por exemplo, para encher os bolsos dos banqueiros e para comprar parlamentares via orçamento secreto.