SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

DIA DE MOBILIZAÇÃO

Direção do Sintrajufe/RS faz passagens nos setores em convocação para as assembleias de base desta quarta-feira, 15

Ler conteúdo

Na tarde desta terça-feira, 14, a direção do Sintrajufe/RS fez passagens em setores dos prédios do Judiciário Federal de Porto Alegre e na Justiça Federal de Novo Hamburgo. O objetivo foi convocar a categoria para as assembleias de base que acontecerão nesta quarta-feira, 15, dia de mobilização nacional por reposição salarial.

A data foi definida pela Fenajufe para atividades de mobilização em todo o país. No Rio Grande do Sul, além das assembleias de base na capital, o Sintrajufe/RS orienta que o interior também realize assembleias de base.

Confira horários e locais das assembleias de base em Porto Alegre:
12h30min – Justiça do Trabalho, nas varas trabalhistas
14h30min – Justiça Eleitoral, no prédio da 7 de Setembro
16h – Justiça Federal/TRF4, junto ao prédio da 1ª Instância

Precisamos aumentar a pressão sobre Bolsonaro e Fux

Em janeiro, o funcionalismo federal entregou ao governo uma pauta de reivindicações unificada, buscando a reposição emergencial de 19,99% (perdas referentes a janeiro de 2019 a dezembro de 2021). O Sintrajufe/RS, a Fenajufe e diversas outras entidades estão em campanha salarial unificada desde então, sempre apontando a necessidade de buscar, futuramente, as demais perdas acumuladas. No Judiciário, servidores e servidoras já acumulam mais de 30% de perdas apenas no governo Bolsonaro.

Desde o final do ano passado, Bolsonaro e sua equipe, destacadamente o ministro da Economia, Paulo Guedes, empregam um jogo de confusão para tentar enganar os servidores e servidoras quanto ao reajuste. Nos últimos dias, a posição mais frequente de Bolsonaro e Guedes é de fazer declarações negando a possibilidade de haver qualquer reposição salarial neste ano, ou seja, 2022 será mais um ano de reajuste zero.

O Judiciário já mostrou que há espaço no orçamento para reajustar os salários, mas o STF, em vez de seguir o exemplo do Tribunal de Contas da União (TCU), que apresentou à Câmara um projeto para a reposição de 13,5% para os servidores e as servidoras, está condicionando o índice de reposição da categoria à decisão do governo Bolsonaro para todo o funcionalismo. Além da pressão sobre o governo federal, servidores e servidoras do Judiciário Federal estão cobrando ações concretas do STF. A Fenajufe solicitou audiência com o presidente do Supremo, ministro Luiz Fux, para tratar do projeto a ser encaminhado com vistas à reposição de perdas da categoria, mas ainda não conseguiu ser recebida por ele.


Categoria mostra preocupação com reposição salarial

Durante a tarde, a direção conversou com e os colegas, passando informações sobre a campanha salarial e o calendário de mobilização e ouvindo manifestações da categoria.

As diretoras Arlene Barcellos e Cristina Viana avaliam que a passagem foi muito positiva nas varas trabalhistas de Porto Alegre. Muitos servidores e servidoras ainda estão em rodízio e teletrabalho. As diretoras destacam que houve muitas manifestações de indignação por parte dos colegas, mas, por outro lado, eles afirmaram que não há nenhuma surpresa com o tratamento que o governo federal dá ao reajuste salarial para servidoras e servidores públicos. Para os colegas, é fundamental o envio do projeto de lei por parte do ministro Fux ao Congresso Nacional.

“É importante a participação de todos os e as colegas nas assembleias de base amanhã e na caravana a Brasília na próxima semana, para buscarmos nossa recomposição salarial ainda este ano, contemplando colegas da ativa e aposentados e aposentadas”, afirma Arlene Barcellos. Cristina destaca que a maioria está preocupada com a reposição salarial e com os ataques ao serviço público. “Falamos principalmente da necessidade de nos mobilizarmos neste mês nos locais de trabalho e, em especial na ida, em Brasília, para movimentar o STF. As pessoas estão indignadas quanto à possível obtenção de quinquênio para os juízes e muito preocupadas com a falta de reposição das vagas de trabalho”, diz Cristina.

Na Justiça Federal, a passagem nos setores e varas federais foi muito boa, avalia o diretor Fabrício Loguercio, que ressalta a preocupação manifestada pelos colegas com o salário congelado e o interesse sobre as perspectivas e estratégias de luta. “Meu sentimento é que teremos uma adesão maior do que as anteriores, apesar do teletrabalho de parte significativa da categoria”, avalia o dirigente.

O diretor Marcelo Carlini foi a Novo Hamburgo, nesta terça-feira, 14, para fazer a convocação do dia de mobilização, passar informes e conversar com os e as colegas da Justiça Federal. Ele avalia que “a recepção foi muito boa e expressa a preocupação da categoria com a reposição salarial, cercada de incertezas pela confusão causada por Bolsonaro. Também é cada vez mais clara a percepção de que a falta de ação do STF, no caso da reposição dos salários dos servidores, serve como poupança para a aprovação da PEC 63 [quinquênios da magistratura e dos procuradores]. Só a mobilização pode derrotar o zero  de Bolsonaro e Fux”.

O momento é de reforçar a luta. Por isso, participe das assembleias de base desta quarta-feira, 15!

Sintrajufe/RS disponibiliza materiais para mobilização

O Sintraufe/RS orienta que os e as colegas do interior também participem das mobilizações em suas cidades. Cada um e cada uma pode fazer sua parte nessa luta. Abaixo, faça o download e imprima os materiais produzidos pelo Sintrajufe/RS.

Baixe e imprima os materiais

Panfleto para o interior
Cartaz
Faixa