SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

DESTAQUE

Com audiência pública virtual nesta quinta, às 19h, campanha Petrobrás Fica será lançada no RS

Ler conteúdo

Será lançada nesta quinta-feira, 3, a campanha “Petrobrás Fica”, contra as tentativas do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) de desmonte e privatização da estatal, que pode fazer com que a Petrobrás encerre suas atividades no Rio Grande do Sul. Para o lançamento da campanha no estado, será realizada uma audiência pública virtual, às 19h, organizada pela Frente Parlamentar Nacional em Defesa da Petrobrás, Frente Parlamentar em Defesa da Petrobrás como Fomentadora de Desenvolvimento para o Rio Grande do Sul, com o apoio do Sindicato dos Petroleiros do Rio Grande do Sul (Sindipetro/RS) e da Federação Única dos Petroleiros (FUP). A atividade terá retransmissão pela página do Sintrajufe/RS no Facebook, AQUI.

A campanha “Petrobrás Fica” é nacional e teve início no dia 7 de agosto, com o objetivo de denunciar o acordo entre a empresa e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), que prevê a privatização de oito das 13 refinarias da estatal, inclusive a Refap, no RS. A audiência pública desta quinta, como a campanha, busca conscientizar a população sobre as perdas que o estado terá se a Petrobrás for embora. São perdas de empregos, investimentos e de muitas empresas que fazem parte da mesma cadeia e que irão  à falência se o projeto de privatização se confirmar.

Os riscos da privatização proposta pelo governo vão além, incluindo desde desabastecimento do país até o aumento vertiginoso dos preços dos combustíveis. Outra consequência direta da venda da Refap será a queda da arrecadação do estado e dos municípios. No RS, 15% do ICMS e 8% da receita total são ligados à Petrobras. Em Canoas, a refinaria representa cerca de R$ 170 milhões na arrecadação anual. Arrecadações muito significativas também são registradas em cidades como Osório (R$ 47 milhões), Tramandaí (R$ 22 milhões), Imbé (R$ 20 milhões) e Cidreira (R$ 12 milhões). Perdem os municípios e o estado, perde a população.

O Sintrajufe/RS vem acompanhando a luta dos petroleiros contra as privatizações desde o  início do ano. No início de fevereiro, a direção do sindicato participou de ato da categoria, em Porto Alegre. Na semana seguinte, o Sintrajufe/RS publicou matéria detalhando possíveis consequências da privatização para toda a população. Depois, ainda em fevereiro,a entidade recebeu, na sede, o diretor do Sindipetro/RS Dari Beck, em uma conversa que preparou a participação do Sintrajufe/RS na continuidade dessa luta e forneceu informações para que o sindicato repassasse à categoria, demonstrando a importância da pauta para toda a sociedade brasileira.