SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

MOBILIZAÇÃO

Com anúncio de aumento de 18,8% na gasolina e 24,9% no diesel, é ainda mais urgente exigir reposição salarial; assunto será discutido na assembleia geral nesta quinta-feira, 19h

Ler conteúdo

A Petrobras informou, em comunicado, o reajuste em 18,8% da gasolina, 24,9% do óleo diesel e 16,1% do gás de cozinha a partir desta sexta-feira, 11. Com isso, espera-se uma alta ainda maior na inflação, uma vez que os preços dos combustíveis impactam em vários outros produtos. A reposição salarial emergencial da categoria e a mobilização na campanha salarial são temas da assembleia geral que o Sintrajufe/RS convoca para esta quinta-feira, 10, às 19h, em modo online. O link pode ser acessado aqui.

No comunicado, a Petrobras afirmou que a alta tem relação com a cotação do barril do petróleo no mercado internacional, provocada pela guerra na Ucrânia: “tornou-se necessário que a Petrobras promova ajustes nos seus preços de venda às distribuidoras para que o mercado brasileiro continue sendo suprido, sem riscos de desabastecimento, pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras”.

Salários em real, combustíveis em dólar

De acordo com o banco Fator, a alta dos combustíveis deve adicionar 1,5 ponto percentual na projeção de inflação deste ano, desconsiderando os efeitos secundários. A previsão para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) da instituição subirá de 7% para 8,5%.

Desde 2016, a Petrobras segue a chamada Política de Paridade Internacional (PPI), pela qual os preços dos combustíveis processados pelas refinarias estão sujeitos às variações do mercado internacional. Uma das principais variações é o preço do barril do petróleo, o que afeta o valor dos derivados, como gasolina, diesel e gás de cozinha. Como o barril do petróleo é cotado em dólar, no caso do Brasil ainda é preciso aplicar a conversão para a moeda norte-americana.

Bolsonaro sobre o aumento: “não defino o preço”

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou, nesta quinta-feira, 10, que não tem controle sobre o preço de combustíveis na Petrobras. Horas antes de a estatal anunciar reajustes no diesel e na gasolina, o chefe do Executivo disse “achar” que os preços dos combustíveis “vão aumentar”. “Não tô dizendo se vai ou não vai, eu acho que vai aumentar. No mundo todo aumentou. Eu não defino preço na Petrobras, não decido nada lá. Só quando tem problema, cai no meu colo”, alegou. A Federação Única dos Petroleiros (FUP), que reúne os trabalhadores do setor de óleo e gás no país, criticou mais um aumento de combustíveis. Segundo a FUP, a alta anunciada é um desrespeito da Petrobras e do governo de Jair Bolsonaro contra os brasileiros e as brasileiras.

Assembleia geral, hoje, às 19h, discute mobilização e reposição salarial emergencial; FSP marca caminhada em Porto Alegre

A categoria está com salários congelados desde 2019; diante do aumento do custo de vida, o funcionalismo público federal apresentou, em janeiro, uma proposta unificada de reposição emergencial, de 19,99%. O percentual corresponde às perdas somadas durante o governo Bolsonaro. Até o momento, não foi dada qualquer resposta.

Atos públicos vêm sendo realizados por diferentes categorias em diversas partes do país e, em Porto Alegre, o Sintrajufe/RS tem marcado presença. A próxima mobilização, no calendário unificado, acontece dia 16 de março, Dia Nacional de Mobilização e Greve. Na assembleia geral, a categoria vai debater e definir como será a participação do Judiciário Federal e do Ministério Público da União. A Frente dos Servidores Públicos (FSP), reunida nessa quarta-feira, marcou um Ato Estadual Unificado pela Reposição Salarial das 3 Esferas, com concentração no Banco Central, na Sete de Setembro, a partir das 10h, e caminhada rumo ao Palácio Piratini.

Outro ponto de pauta é a realização do próximo Congresso Estadual do Sintrajufe/RS, que deveria ocorrer antes do próximo Congresso da Fenajufe, previsto para o final de abril. No entanto, em função das atuais medidas restritivas necessárias quanto à pandemia, um grande contingente de colegas permanece em trabalho remoto. Isso dificultaria a participação da categoria, uma vez que os delegados e as delegadas são eleitos nos setores de trabalho. Por esse motivo, a direção está propondo o adiamento para o final do ano. A eleição da delegação para o Congrejufe será realizada em assembleia geral a ser, oportunamente, convocada.

Sintrajufe/RS, com informações de Correio Braziliense, G1, Petrobras, Veja