SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

CAMPANHA SALARIAL

Barros pede “compreensão” com governo Bolsonaro e fala em “reajustar benefícios”

Ler conteúdo

Nessa quarta-feira, 2, o líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), afirmou que apenas os policiais receberão reajuste salarial neste ano. Barros ainda pediu que os sindicatos e demais categorias tenham compreensão com o governo. Enquanto isso, servidores e servidoras de todo o país já iniciaram as mobilizações para buscar a reposição das perdas que vêm acumulando.

Na abertura do ano legislativo, na Câmara, Barros foi taxativo: “As categorias a serem beneficiadas são da área de segurança pública. Os sindicatos dos servidores públicos precisam se entender. Aumento linear para todos não haverá, são R$ 3 bilhões para cada 1% de aumento para o servidor público” disse. E completou ameaçando: “Não temos esse recurso no Orçamento. Ou eles se entendem e quando uma categoria consegue avançar, as outras apoiam, porque um dia vai chegar sua vez, ou fica como está. Alguns podem receber e outros não. Todos são contra e ninguém recebe nada, é simples assim”.

Ao mesmo tempo, em meio à pressão e com a proximidade das eleições, o governo sinaliza com a possibilidade de reajustar os benefícios (como o vale-alimentação) do conjunto dos servidores. Mas isso está muito longe do que precisa o funcionalismo e deixaria milhares de aposentados de fora. As perdas acumuladas desde 2019 já chegam a 19,99%, e é esse o valor reivindicado pelas categorias.

Pelo lado dos servidores e servidoras, a campanha salarial já começou. Um ato unificado foi realizado nessa quarta-feira, 2, em Brasília, na busca pela luta unitária que em 2021 impediu a aprovação da reforma administrativa (PEC 32/2020). As sinalizações do governo já demonstram que não há vontade política em conceder reajustes, mas também mostram que a pressão e a mobilização é o único caminho para que a reposição seja conquistada. Por isso, além do ato dessa quarta, já está definido um calendário de ações, organizado conjuntamente pelas centrais, federações e sindicatos. Veja abaixo:

Calendário de lutas já aprovado

O calendário de lutas nacional unificado foi aprovado pela categoria na assembleia geral do Sintrajufe/RS no dia 20 de janeiro.

27 de janeiro – Plenária Nacional de mobilização dos servidores e servidoras públicos federais
2 de fevereiro – Atividade simbólica, como parte do processo de mobilização pela recomposição emergencial, em Brasília, com faixaço por todo o país nos órgãos e nos prédios públicos
7 a 11 de fevereiro – Rodada de plenárias estaduais e atividades virtuais “Reposição emergencial para todas e todos: 19,99% já!”
14 a 25 de fevereiro – Jornada de Luta em estado de greve
9 de março – Greve nacional dos servidores e das servidoras federais