SINDICATO DOS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL E MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO - FUNDADO EM 28 DE NOVEMBRO DE 1998 - FILIADO À FENAJUFE

DESTAQUE

Ação judicial do Sintrajufe/RS, com Sindbancários e Cpers, em defesa do isolamento social, repercute nos principais jornais do RS

Ler conteúdo

No último sábado, 18, uma carreata organizada pelo deputado estadual Ruy Irigaray (PSL) ocorreu em Porto Alegre, defendendo o fim do isolamento social que tem protegido a vida de milhares de brasileiros e brasileiras. Buscando defender a vida da população e o cumprimento dos decretos dos governos estadual e municipal, o Sintrajufe/RS, juntamente com o Cpers/Sindicato e o Sindicato dos Bancários de Porto Alegre e Região (Sindbancários), ingressou com ação judicial para impedir a realização da atividade.

Infelizmente, o juiz Murilo Magalhães Castro Filho, da 5ª vara, entendeu que, “em que pese ser evidente o caráter inoportuno, e até irresponsável eu diria, da manisfestação aqui noticiada”, os sindicatos não têm legitimidade processual para impedi-la judicialmente. Na decisão, o juiz apontou que “o bem atingido pela noticiada manifestação é a saúde pública, face o risco inerente que a aglomeração pode causar, com potencialidade efetiva de expandir a disseminação do vírus, o que vem sendo amplamente divulgado pelas autoridades médicas e sanitárias. E este bem, não obstante sua inequívoca relevância, não pode ser defendido pelos autores, ao menos em Juízo”.

Além de Porto Alegre, carreatas no mesmo sentido foram realizadas em outras cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro, em alguns casos com paradas e buzinaços em frente a hospitais, demonstrando a total falta de civilidade e sentido de coletividade dos participantes. No domingo, atos em frente a quartéis defenderam a ditadura militar e pediram um “novo AI-5”, reforçando uma vez mais o caráter autoritário dos apoiadores do atual governo. Em Porto Alegre, foram registradas agressões a uma mulher que criticava os manifestantes e a profissionais de imprensa que cobriam a atividade.

Embora a carreata tenha de fato ocorrido, a ação judicial teve grande repercussão na mídia, chamando a atenção para o absurdo da atividade promovida pelo deputado do PSL. A carreata da morte contrariou as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e de autoridades e especialistas de todo o mundo que apontam que o isolamento social é fundamental para combater a propagação do novo coronavírus e evitar dezenas de milhares de mortes.

Repercussão na mídia

A ação judicial foi repercutida na coluna da jornalista Rosane de Oliveira, no jornal Zero Hora, que chegou a afirmar que “o deputado Ruy Irigaray deveria se inscrever como voluntário para trabalhar em serviços funerários”.

No Correio do Povo, a matéria informou sobre a ação e repercutiu declaração da diretora do Sintrajufe/RS Clarice Camargo.

O Jornal do Comércio, por sua vez, em matéria sobre a carreata, destacou a ação judicial movida pelas entidades e reproduziu a fala da diretora Clarice Camargo, que apontou que “não é apropriado fazer esse tipo de convocação, fora do que está sendo pedido pelas autoridades sanitárias do Brasil e do mundo. É completamente fora do que é necessário para combater a pandemia neste momento. Estamos em uma longa caminhada e precisamos que as autoridades deem o exemplo. Basta de tanta inconsequência”.

Sintrajufe/RS defende proteção à vida e aos empregos

Como já apontou em nota pública,o Sintrajufe/RS, juntamente com outras entidades sindicais e movimentos sociais, vai continuar utilizando todos os meios para defender a manutenção do isolamento e do distanciamento social e a aplicação ou ampliação de medidas que preservem e protejam a saúde, os salários e os empregos dos trabalhadores e das trabalhadoras.